Funcionalidade do Monitor SCR

O monitor deve detectar falhas antes que as emissões de NOx excedam o limite especificado pela regulamentação vigente para o modelo analisado. Para isto o monitor deve: 1- Verificar a eficiência de conversão- O monitoramento da eficiência de conversão é realizado uma vez a cada ciclo de condução e tem como base a comparação da eficiência calculada em função dos valores de concentração de NOx medidos pelos sensores pré e pós-catalisador SCR

2- Verificar a injeção apropriada de agente redutor( DEF, Arla).- No cado de o sistema possuir sensor de ureia, a verificação é contínua e a detecção de agente não apropriada é imediata. Por outro lado, no caso de o sistema não possuir sensor de ureia no reservatório, o monitoramento é feito avaliando a eficiência de conversão do catalisador durante o intervalo de tempo determinado, o que depende do consumo de redutor

3- Monitorar o sistema de injeção do agente redutor.Consiste em:- Monitoramento do nível do reservatório. 

Esta função tem por objetivo assegurar que a quantidade de redutor no tanque seja suficiente para manter o desempenho do sistema no nível apropriado.

-Monitoramento da pressão de injeção.

Basicamente esta funcionalidade se resume ao monitoramento: a) do aumento inicial de pressão, b) do controle da pressão de injeção de ureia dentro da faixa de operação e c) da redução de pressão ao desligar o motor 

-Monitoramento do controle em malha fechada da injeção de ureia . Esta função consiste em monitorar o controle em malha fechada da injeção do agente redutor detectando: -Falha que impede o sistema de funcionar em malha fechada. -Falha que faz o sistema passar a funcionar em malha aberta. Ou seja, o sistema estava funcionando em malha fechada, mas um defeito o fez passar a operar em malha aberta.

-A autoridade do monitor para o funcionamento em malha fechada atingiu o limite. Ou seja, foi atingido o limite de dosagem de ureia e o nível de NOx na saída ainda está elevado.

4-Monitorar a temperatura do catalisador SCR e dos gases de escape.-Quando satisfeitos os critérios de habilitação, o monitor, de forma contínua, compara a diferença entre a temperatura do ponto de ajuste(temperatura necessária) e a temperatura medida, com o desvio máximo permitido. Caso a diferença for superior ao limite por um tempo determinado, o código correspondente é gravado. Por exemplo, a falha é gravada se a temperatura do ponto de ajuste for superior à temperatura medida, em 800C, por um período de 300 segundos.

Fonte: Oficina Brasil

Deixe aqui seu comentário...